domingo, 10 de julho de 2011

RELATÓRIO DO COLÉGIO EPISCOPAL METODISTA SOBRE O CRESCIMENTO DA IGREJA DURANTE O 19° CONCÍLIO GERAL

De acordo com o relatório do Colégio Episcopal: “Entre os caminhos de Deus e os caminhos da Igreja instituição, nos deparamos com rumos irreconciliáveis. Surgiu o movimento G12, que propôs uma eclesiologia anárquica. Multiplicam-se o número de apóstolos e, mais recentemente, de patriarcas. Tudo pela hegemonia e poder econômico, nunca pelo serviço e disposição de esvaziar-se a si mesmo em favor do povo e do Evangelho. Diante do horizonte visto aqui, o quadro dos últimos 30 anos é positivo” (p.10).



Em dez anos, o número de metodistas no Brasil teve um aumento expressivo: saltou de 80.061 para 214.715. Crescimento de 268,19%. Os números foram divulgados no primeiro dia do Concílio Geral da Igreja Metodista em Brasília, durante a apresentação do relatório do Colégio Episcopal. A exposição foi transmitida ao vivo pela internet, no portal – www.metodista.org.br.


Por Região, o número de membros está assim:

1ª Região – 105.632 membros – crescimento de 29,23% em relação à 2006
2ª Região – 11.922 membros – crescimento de 17,54% em relação à 2006
3ª Região – 18.278 membros - crescimento de 4,09% em relação à 2006
4ª Região – 26521 membros - crescimento de 10,44% em relação à 2006
5ª Região – 21463 membros - crescimento de 2,90% em relação à 2006
6ª Região – 22.850 membros - crescimento de 31,98% em relação à 2006
Remne – 4.963 membros - crescimento de 36,08% em relação à 2006
Rema – 3.086 membros - crescimento de 27,94% em relação à 2006

Total: 214715 membros - crescimento de 20,84% em relação à 2006

Relatório - Outros dados também foram informados com entusiasmo: Pelo Brasil afora, há 1038 Igrejas Metodistas. Existem também 373 congregações e 400 pontos missionários no país. Em relação a 2006, ano do último conclave, o crescimento foi de 4,8% no número de igrejas. Naquela época, eram 989.

De acordo com o relatório do Colégio Episcopal: “Entre os caminhos de Deus e os caminhos da Igreja instituição, nos deparamos com rumos irreconciliáveis. Surgiu o movimento G12, que propôs uma eclesiologia anárquica. Multiplicam-se o número de apóstolos e, mais recentemente, de patriarcas. Tudo pela hegemonia e poder econômico, nunca pelo serviço e disposição de esvaziar-se a si mesmo em favor do povo e do Evangelho. Diante do horizonte visto aqui, o quadro dos últimos 30 anos é positivo” (p.10).

Ministério pastoral – Alguns dados sobre o ministério pastoral na Igreja Metodista também foram apresentados. Hoje, em todo o Brasil, são 1073 presbíteros/as, 35 pastores/as suplentes, 209 pastores/as e 10 diáconos e diaconisas. Nos últimos cinco anos foram recebidos ao presbitério, 360 ministros.

A apresentação do relatório foi feita pelo Bispo Adonias Pereira do Lago, secretário do Colégio Episcopal. Ele falou ainda sobre a caminhada da Igreja Metodista, organização, Rede Metodista de Educação, formação teológica, discipulado, missões transculturais, Dons e Ministérios e sobre o Plano Nacional Missionário (2077-2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações e opiniões postadas no Blog Fé & Razão não correspondem às opiniões e idéias de pessoas ligadas a mim nem de minha Igreja
Ocorreu um erro neste gadget