terça-feira, 26 de abril de 2011

Meu Último Dia - desenho japonês sobre Jesus

sexta-feira, 8 de abril de 2011

HÁ RESPOSTAS PARA A TRAGÉDIA EM REALENGO?

07 de Abril de 2011 será um dia a se esquecer na memória dos cariocas, na memória dos brasileiros. Um homem de 23 anos invadiu uma escola em Realengo, bairro do Rio de Janeiro e atirou em várias crianças e até o momento matou 11, em seguida, suicidou.

Eu nem ia postar nada sobre esse assunto pois é difícil encontrar palavras e nem há muito o que se falar sobre isso. É um assunto difícil e nesse momento uma palavra errada pode se tornar antiético. E como não falar desse assunto sem deblaterar contra esse animal estúpido e desumano que praticou tais atrocidades.

Qual a motivação de tanto ódio? Por que ele fez isso? É a pergunta que a mídia faz. Por que meu Deus?? Por que Deus permitiu isso? As mães e avós gritam diante das câmeras de televisão.

Um amigo me indagou sobre o por que de Deus não impedir que este maluco cometesse tal atrocidade. Pensei um pouco e cheguei numa resposta “técnica” sobre o assunto e disse que: Algum dia, mais cedo ou mais tarde, todos vão morrer. Nem todos vão morrer de velhice ou por uma doença, mas todos de uma forma ou de outra vão morrer e no caso dessas crianças algo que deveria ocorrer no final da vida, ocorreu no começo. 

Sobre catástrofes como essa e outras, a Bíblia já nos diz em efésios: ”Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau”, ou seja, é tempo de estar fortes e resistir, é isso que tem que se fazer num momento desses: resistir e suportar.
Não creio que este seja um momento de respostas, até mesmo porque não há! É tempo de orar pelas famílias e que está perto consolá-las, se isso realmente for possível.


ECLESIASTES 3:1-8
Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.


quinta-feira, 7 de abril de 2011

SEM LIMITES PRA PEDIR


É quase impossível freqüentar um culto evangélico sem ser constrangido pelo exagero e apelo na hora de persuadir os fiéis a fazer doações. Posso te dizer sem sombra de dúvidas que não há mais limites nem vergonha na cara dos grandes líderes para pedir. 

Pedir oferta está para os líderes evangélicos assim como usar drogas está para um viciado. Começa com pouco, só para experimentar. Por exemplo, um pastor discreto  certo dia percebeu que ao citar determinado versículo bíblico ou emocionar a platéia com algum apelo teatral fez com que aquele culto gerasse maior renda. Então, com medo de represália dos fiéis, não repete tais atitudes, mas aquilo fica na cabeça desse pastor. Num culto de domingo lotado ele não resiste e prega sobre Abraão ter entregue Isaque,  depois Deus providenciou o cordeiro, e no final desafia os fiéis a entregarem o Isaque para Deus prover o cordeiro, ou seja, a vitória. Com bastante senso teatral, a música certa, como discurso eloqüente o tal pastor vê a oferta triplicar naquele domingo. Desde então cada pregação tem sido uma justificativa para arrancarem mais e mais grana dos fiéis.

Eles não têm limites, certa vez havia uma campanha na “Igreja” Universal do Reino de Deus que, da mesma forma que Maria gerou Jesus – o sacrifício perfeito, desafiou os fiéis a “gerarem” o seu maior sacrifício e entregarem no altar. E sem titubear eles dão. E dão muito! Nada na vida dessa gente muda, mas eles dão, mais e mais. É a esperança que nunca morre, é as esperança numa força sagrada que irá recompensar em dobro, em triplo, 7 vezes mais todo o dinheiro dado no “altar”. 

A moda agora é chamar oferta de semente. Renê Terranova, Silas Malafaia, entre outros tem seguido essa mesma cartilha. Mas quem prospera é somente eles, que compram aviões, carros importados, esbanjam suas riquezas enquanto os assalariados entregam o pouco que tem e nada muda em suas vidas.

Bispa Sonia no presídio.



É necessária uma revolução, é sério! Algo intenso no seio evangélico, uma ação do Espírito Santo assim como em Lutero. Porém acredito que até Lutero encontraria dificuldades para reformar o atual panorama. As pessoas se entregam, e entregam tudo de sim. Os crentes não se entregam apenas financeiramente, mas também ofertam o seu emocional a ponto de verem seus líderes sendo presos com dólares escondidos na Bíblia e condenados por várias maracutaias (caso do casal Hernandes da Renascer) e permanecerem fiéis e mais apaixonados ainda. Esses líderes são o bezerro de ouro de um povo que se diz crente mas se fé nenhum no Filho de Deus. 

Se a mídia denuncia os fiéis alegam que é perseguição religiosa, ou que é o diabo, etc... Mas, na verdade, tem que perseguir mesmo, afinal de contas ser líder de instituição religiosa é uma resposabilidade muito grande e exige da pessoa uma conduta ilibada e sem manchas. Essa conduta ética não é só exigida pela sociedade, mas é uma ordenança bíblica.

Mas a cara de pau é impressionante, com a desculpa de evangelizar se pede ao extremo com promessas de riqueza. Pra falar a verdade, nem vejo problemas no pedir oferta, afinal de contas é uma prática bíblica. O que me incomoda é a motivação, as promessas, e o conceito de barganha em que se transformou essa prática, sem falar no exagero para pedir. Na cabeça dos fiéis há um raciocínio tipo "pós e contra", por exemplo, o crente perde uma quantia ofertando, mas depois ele vai ganhar mais mesmo.

Em Cristo, que não precisa do seu dinheiro,
 

Felipe Oliveira Almada

terça-feira, 5 de abril de 2011

O RECONHECIMENTO GOSPEL É O MUNDO

Segunda (03/abr/11) estava zapeando pelos canais da TV aberta brasileira e me deparei com a cantora que tem sabor de mel (não que eu tenha experimentado) no programa da Eliana. Mesmo achando que há outros cantores cristãos que deveriam estar ali, nada de mais ver a Damares, com seu vestido baiana clean na Eliana ou em outro programa, como eles dizem, “secular”.

Acho legal ver que há grande receptividade com evangélicos na mídia, mesmo sabendo que eles estão lá como produto, ás vezes bizarro, mas é o único nicho musical que ainda vende cd´s no Brasil por isso que Eliana e cia. engolem cantoras como Damares e Cassiane goela abaixo.

Porém o que me indigna é que a maioria desses cantores e cantoras quando vão à algum programa que não seja evangélico têm um discurso emocionado de que agora é que são reconhecidos, de que chegaram no topo da carreira por estar em determinado programa. Para eles, os cantores gospel, o reconhecimento chega quando eles são chamados para participar de programas de auditório como Eliana, Raul Gil e Faustão, este último, então é o auge por ser na até então diabólica Rede Globo.

Quando participam destes programas, os artistas gospel mostram o quão são vazios e não saem dos jargões evangélicos e passam despercebidos como qualquer outro cantor “do mundo”. Se preocupam em mostrar na superficialidade que são diferentes das pessoas normais, e isso fica claro no linguajar estranho e nas roupas cafonas.

O reconhecimento no mundo gospel é chegar na mídia “mundana”, isso eles deixam claro. Penso que o reconhecimento deveria ser outro, totalmente diferente. Com certeza o cachê da Damares não é mais o mesmo depois de sua aparição no SBT. Pois como ela mesmo disse “Foi difícil chegar até aqui, mas eu vim da roça e hoje estou no programa da Eliana”, ou seja, se realizou, no mundo.

Para Damares, uma realização, um sonho, o auge. Para Eliana é como uma criança que tem que brincar com a filha da melhor amiga da mãe que veio visitá-la.
Ao meu ver os cantores gospel ainda estão muito mal acessorados no que diz respeito a se apresentar na TV aberta. Basta serem normais e disfarçarem o deslumbramento.

DEUS VAI REALIZAR TODOS OS SEUS SONHOS?

“Deus vai realizar os seus sonhos” – exclama o pastor. “Amém, Glória a Deus” – responde a platéia! “Sabe esse sonho que você tem há muitos anos? Deus está te entregando hoje!” – esbraveja o pastor e a platéia se emociona.

Esse é um cenário que se repete à exaustão dentro das igrejas evangélicas pelo Brasil e pelo mundo a fora. Falar sobre sonhos, realizar sonhos é bonito e emociona, mas será que é assim que funciona?

Muito se prega e canta nas igrejas sobre os sonhos, mas nesse caso não é o sonho que se tem quando dorme, mas sim um desejo intenso e vivo. Geralmente os sonhos vêm da infância, “aquilo que eu sempre quis”. E quando alguém pensa em seus sonhos, pensa em algum bem material ou em realização pessoal. Vejamos: uma mulher por volta de seus 36 anos, divorciada, endividada com um filho problemático, qual o sonho desta mulher? Ou nem precisamos ser tão dramáticos, algum casal com a vida estabilizada física e emocionalmente, qual o sonho deles? Nos dois exemplos se formos nos colocar no lugar deles e nos fosse dito por um “profeta”: “Deus vai realizar os seus sonhos esta noite”, o quanto isso não mexeria com nosso interior, esperanças e questionamentos.

Outro grande mantra é: “Não desista dos seus sonhos!”. Fala-se em correr atrás dos sonhos, não desistir, e pregadores e cantores chegam a equiparar os sonhos do nosso coração com o que Deus quer para nós.
Sonhar não é pecado, de acordo com alguns estudos ter sonhos é saudável e nos motiva. Porém achar que Deus vai realizá-los um por um como um gênio da lâmpada é um absurdo. É bonito e poético esse discurso de não desistir dos sonhos pois Deus vai torná-los real, entretanto esse discurso  é irreal e medieval.
Tais crenças são frutos da humanista Teologia da Prosperidade e na maioria das vezes esses discursos vêm acompanhados de um pedido de oferta, pois “Deus faz milagres, mas temos que mostrar a nossa fé”, qual o melhor meio??? Dinheiro!

Como realizar os sonhos?

Se sonhar não é pecado e chega a ser motivante, como realizá-los? Simples! Se a pessoa tem um sonho de ser médico terá que estudar, passar num vestibular, estudar com afinco, e depois de concluída a faculdade conseguir um bom emprego, passar em um concurso ou abrir o próprio consultório. Veja bem que não vai ser fácil, e que dependerá do seu esforço e dedicação. É assim que se realizam os sonhos: com esforço e dedicação. Não serão o esforço e a dedicação de Deus, mas os seus. Mas onde entra Deus nesse processo todo? A resposta está em Romanos 8:28 : “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”, ou seja, ELE vai abrindo as portas que estão fora da sua força, ELE vai mostrar o caminho quando você não tiver noção nenhuma de onde seguir.

A busca dos sonhos não pode ser uma obsessão e sim uma ordem natural da conseqüência de sua dedicação e esforço na caminhada da vida. Devemos correr do perigo de idolatrar os sonhos. Ás vezes é necessário avaliar e ver se vale a pena correr atrás de um determinado sonho e, sim! Desistir do sonho se ficar claro não ser viável por determinados motivos. Não se engane, ás vezes é necessário desistir dos sonhos. Não estou sendo pessimista, mas é verdade. Não fique preso ao seu sonho, se não der para realizá-lo não jogue a responsabilidade em cima Deus “Pra mim é impossível, mas para Deus é possível!” Agora leitor, eu te pergunto: Por que tem que ser assim? Por que Deus vai ter que realizar esse sonho? Por que Deus vai ter consertar todas as atitudes erradas que tomamos na vida?

O grande problema é quando os sonhos não são realizados e os sonhadores vão se frustando na vã esperança egoista de que Deus realizaria seus sonhos, a pessoa vai de uma certa forma perdendo a fé em Deus e geralmente troca de igreja atrás de um deus que vá realizar seus sonhos.

Se a sua vida não está como você sempre sonhou, não se lamente, não pense que Deus não te ama ou que seus pecados estão impedindo o agir de Deus em sua vida. Seja agradecido pelo você tem sido, pois o próprio Cristo nos ensinou através dos lírios do campo, e sabiamente revelou que a essência é buscar em primeiro o reino de Deus e sua justiça e todas as outras coisas Ele acrescentaria.

Felipe Oliveira Almada

Fé & Razão




Está no ar o Blog Fé & Razão! Estamos aqui para Denunciar e Edificar sem meias palavras!!!!

   
As informações e opiniões postadas no Blog Fé & Razão não correspondem às opiniões e idéias de pessoas ligadas a mim nem de minha Igreja
Ocorreu um erro neste gadget