sábado, 9 de julho de 2011

Cantora evangélica ganha ação por plágio contra padre Marcelo Rossi



A cantora piauiense Marinalva Santos, 39 anos, ganhou ação por plágio contra o padre Marcelo Rossi. A Associação Brasileira de Música e Artes reconheceu que a cantora evangélica é autora da música “Noites Traiçoeiras” e que a canção foi plagiada pelo padre.

    Em 2009, a cantora esteve no Jornal do Piauí denunciando que a música foi plagiada. Ela contou que a canção foi feita inspirada em um salmo e para comemorar aniversário de uma igreja Assembleia de Deus em Uberlândia (MG).
    O pastor Francisco Felipe Cordeiro, que é marido e empresário da cantora, informou ao Cidadeverde.com que a música já rendeu um milhão de cópias ao “padre cantor” e que a agora os direitos autorais vão para a piauiense.
    “Entramos com ação e apresentamos todos os documentos a Associação Brasileira de Música e Artes. A partir desta segunda-feira, todos os direitos autorais vão para Marinalva”, garantiu o pastor.
    Ele ressaltou que a cantora tentou um acordo com a assessoria do padre Marcelo Rossi, mas a proposta foi recusada. “Nós tentamentos acordo com ele (Marcelo Rossi), mas não deu certo e a proposta que ofereceu em dinheiro foi rejeitada”, disse o pastor sem revelar o valor em dinheiro.
    Para comemorar a vitória, a cantora que já compôs mais de 100 músicas, vai fazer uma festa em Santana do Piauí. 

### ATUALIZADO!!!!!!  VEJA AS REVIRAVOLTAS NO CASO:


DISPUTA MUSICAL

Após ganhar ação evangélica é desmentida sobre plágio de padre


     Associação Brasileira de Música e Artes afirma que a música "Noites Traiçoeiras', do padre Marcelo Rossi, não é de autoria de evangélica.


     A Associação Brasileira de Música e Artes não reconheceu que a música "Noites Traiçoeiras', um dos sucessos do padre Marcelo Rossi, seja de autoria da evangélica Marinalva Santos, 39, diferentemente, portanto, do que ela afirmara em entrevistas no Piauí, Estado onde mora.


     Marinalva e seu marido, o pastor Francisco Felipe Cordeiro, afirmaram que iam entrar em contato com o padre Marcelo para discutir os direitos autorais com base em parecer da associação segundo o qual a música é plágio. Os dois, inclusive, ameaçaram processar o padre, caso ele não quisesse conversar.


     A assessoria jurídica da associação informou que esse parecer nunca existiu.


     A situação dos evangélicos se complicou porque Carlos Papae, que seria o verdadeiro autor da música, decidiu processá-los sob a acusação de tentativa de golpe para ficar com os direitos autorais.


     Marinalva tinha dito que compôs a música em 1999 em parceria com Vânia Nunes, uma amiga da Igreja Assembleia de Deus Missionária de Uberlândia, Minas Gerais.


     Contudo, de acordo com Luciana Fernandes, representante de Papae, o compositor gravou a música em 1986, conforme prova um disco vinil. Tanto que ele já recebeu 50% dos direitos autorais e agora tenta na Justiça obter o restante.


     Ela disse ter informado o casal de evangélicos por telegrama sobre o processo judicial. Desde o desmentido da associação, o casal tem evitado a imprensa.


     O padre Marcelo gravou a música em 2008 e já vendeu mais de 1 milhão de cópias.
 

Um comentário:

  1. Quem está com a verdade?

    Associação nega que deu ganho de causa a cantora piauiense - http://www.cidadeverde.com/associacao-nega-que-deu-ganho-de-causa-a-cantora-piauiense-80801

    Músico reclama autoria de "Noites Traiçoeiras" e desmente piauiense - http://www.cidadeverde.com/musico-reclama-autoria-de-quot-noites-traicoeiras-quot-e-desmente-piauiense-80880

    ResponderExcluir

As informações e opiniões postadas no Blog Fé & Razão não correspondem às opiniões e idéias de pessoas ligadas a mim nem de minha Igreja
Ocorreu um erro neste gadget