terça-feira, 26 de julho de 2011

Caroline Celico, esposa do Kaká e patricinha gospel, esclarece motivo de saída da Igreja Renascer e lança DVD

 


     O casal Caroline Celico e o jogador de futebol Kaká, depois que saíram da Renascer deixaram o público curioso ao não esclarecer o motivo. Caroline Celico falou sobre a Igreja em entrevista à RedeTV na sexta-feira, 22.
     Caroline e Kaká saíram da Igreja Renascer no final do ano passado e não foram para nenhuma Igreja depois disso. Entretanto, quando questionada por isso Caroline diz que a Igreja é sua casa.
     "A nossa Igreja é a nossa casa, e é isso o que eu acredito. Eu acredito que Deus olha para o nosso coração e vê o quanto que nós queremos entregar da nossa vida e do nosso coração para ele, não só em dinheiro".
     Caroline explicou sobre suas declarações para um jornal de São Paulo de que lia a Bíblia e interpretava de maneira diferente, citando na ocasião, o dízimo. Segundo ela, ela tenta quebrar os rótulos de religião, porque "a religião é aquilo de liga a Deus".
     "A minha religião é Jesus, aquilo que me liga a Deus. A minha religião é ter Deus dentro de mim e querer compartilhar isso com as pessoas". Segundo ela, existem muitas interpretações da Bíblia e essas intrepretações às vezes não estão dentro do contexto.
     Ao deixar claro que não é contra o dízimo, a esposa de Kaká afirma, entretanto, que, mais que o dinheiro, a oferta maior é a de vida.
     "O meu dízimo hoje não é medido e não é calculado em 10%. A minha oferta hoje é maior do que dinheiro. Porque é uma oferta de vida."
     Caroline disse que acredita que Deus quer olhar para o coração e ver "quanto queremos entregar de nossa vida, de nossos coração para Ele, não só em dinheiro. Deus está querendo o coração da pessoa".
     Ao ser perguntada se continua evangélica, Carol afirma que "evangélico virou uma religião" e é contra os rótulos, justificando que "na Bíblia não vemos nenhum rótulo, nenhum nome e nenhuma denominação".
     No final de seu DVD ela colocou: "Para que rótulos, denominações, nomes, se só há um nome?"

     ***********************

***Já pensou se a moda pega? Já pensou se todo mundo for servir a Cristo em casa . Pra que Igreja? Pra que congregar? Que o exemplo dessa patricinha gospel não se espalhe. Nada contra esse casal ter saído da Rena$cer, mas, ficar sem congregar-se é um risco, ainda mais vindo de uma igreja que não pregava a verdade bíblica. Mas a tal Carol é esposa do Kaká, ou seja, pode tudo, pode gravar cd gospel sem nem frequentar igreja, aliás pra que igreja? Ela já sabe tudo! Não precisa, se Deus vê o coração não precisa ir a igreja, não precisa ofertar pois Deus só quer a vida dela... Me dá vontadede vomitar... o pior é que esse DVD dela vai vender feito água e em breve estará pregando nos púlpitos brasileiros. Oremos para que esse casal volte para Cristo, que esse casal conheça o verdadeiro evangelho e não aquilo que a rena$cer ensina.
Pelo menos ela não se considera cantora evangélica... mas será que alguns evangélicos vão concordar com isso ou vão querer mais uma "ídola". Afinal, repito, esposa do Kaká, nem precisa de ter igreja... Ser Igreja é estar em comunhão com irmãos, é sermos devedores um dos outros, é andar pelo caminho estreito.. é isso que ela não quer. Oremos! Se alguem me perguntar se sou evangélico, apesar de tudo responderei seguro que Sim!!!! Pois entendo o que é ser evangélico, de tradição luterana, são valores muito fortes.



Felipe O. Almada


.  Veja a entrevista a seguir.



Você esperava essa repercussão em seu primeiro trabalho como cantora?
Caroline: Não esperava, foi algo que realmente me surpreendeu! Eu pensei em um trabalho onde as pessoas tivessem a oportunidade de entender e se aproximar um pouco mais sobre Deus, que, para mim, não está em igrejas e nem em religiões. Ele é muito maior que isso. E como eu queria presentear, liberei o download gratuito pelo site www.carolcelico.com.

Você já fechou contrato com gravadora para lançar o CD comercialmente?
Ainda não, estou em processo de negociação e trabalhando para que até o final do ano o público possa ter acesso ao CD nas lojas e também ao DVD, que ainda é inédito. Tenho recebido convites para divulgar o trabalho em programas de TV, mas não me sinto à vontade.

Quando será o lançamento do DVD?
Gravamos no verão de 2010 em São Paulo. O DVD foi finalizado em junho, quando presenteei 500 amigos com uma versão promocional. Agora estamos finalizando um segundo DVD com o mesmo conteúdo, mas em sua edição final para distribuição comercial. Os clipes das músicas gravadas com o Kaká e a Claudia estarão no DVD.

Você não gosta que seu CD seja chamado de “evangélico”. Como define sua música?
Eu não gosto de classificações. Chamo o meu trabalho de pop, porque quero que chegue a todas as pessoas. Não é evangélico, porque nem eu mesma me considero evangélica. Acredito em Jesus e amo a Deus. Não é gospel, pois gospel é um tipo de música originada nos EUA. As canções falam de amizade, de família, de amor. É uma história com Deus, além de minha, e que pode ser de muitas outras pessoas.

Numa das faixas do CD, você faz parceria com a Claudia Leitte. Como surgiu a amizade entre vocês?
Quando as pessoas me perguntam para que time eu torço, eu respondo: Kaká. Quando me perguntam de axé, respondo: Claudia Leitte. Mas, para mim, Claudia vai muito além de axé e da carreira artística dela. Nossa amizade surgiu quando eu, sem a conhecer, vi o DVD do show que ela fez em Copacabana.
Eu a vi e entrei em contato com ela. Começamos a conversar e ela me disse que tinha visto algumas coisas minhas na internet e ficou curiosa. Quando nos encontramos eu trouxe uma resposta para ela, sem saber que ela havia perguntado a si mesma (assim ela conta) e ela foi um sinal para mim de que eu estava caminhando na direção certa. Nos encontramos, foi simples assim.

Você pretende seguir a carreira de artista? Tem vontade de trabalhar com moda ou como empresária?
Já abri empresa de eventos em Milão, fiz faculdade de administração de moda (Fashion Business) no Istituto Marangoni. Gosto muito de música, quando pequena fiz curso de piano, canto e tentei tocar violão (sem sucesso). Eu tenho algumas composições minhas que pretendo divulgar no futuro. Mas não me considero uma cantora e, neste momento, não é a carreira que quero seguir.
No momento, estou estudando teologia, um curso sem partidarismo e sem religião, para entender ainda mais desse assunto que amo. Vou começar logo um curso de culinária em Madri e seguir com o meu blog (carolcelico.wordpress.com) e com o site (carolcelico.com) e Twitter (@cacelico). Só respondendo as centenas de e-mails por dia, mandando recados de incentivo, fé, força e esperança para as pessoas já preenche demais o meu dia. É nisso que mora meu prazer de viver.

Como desempenha seu papel de pastora na Espanha?
Eu costumava fazer um grupo pequeno de leitura da Bíblia, mas, com a correria do CD no Brasil, deixei em “stand by”. Pretendo voltar a fazer, mas não tem dia certo, acho que por isso as pessoas gostam tanto. Não é um ritual, é um grupo, uma pequena comunidade para quem quer aprender a estar mais perto de Deus.
Numa pregação em 2009, você comentou a transferência do Kaká para o Real Madrid dizendo que havia aberto uma porta que “acima de tudo, nós vamos poder abrir uma igreja lá”. Numa entrevista recente, você esclareceu que não pretende abrir igreja. Você chegou a pensar nisso ou acha que foi mal entendida na época?
Não fui mal interpretada, eu realmente não desmenti a suposta abertura de uma igreja em Madri. Mas hoje, meus conceitos mudaram, meus posicionamentos estão amadurecendo. Não pretendo abrir igreja alguma. Estou feliz como estou e acho que já existem muitas abertas. Eu tive meu tempo de estar dentro do dia a dia da igreja, mas hoje vejo Deus muito mais forte fora de doutrinas e pregações cheias de revelações. Ele é mais simples do que eu imaginava, e pode fazer parte dos nossos dias fora de um local ou um templo.

O Luca já mostra interesse por futebol? Você já pensa em ter mais filhos?
Penso sim, mais dois pelo menos. Gosto da casa cheia. Luca ama chutar bola, mas ama carros e tênis também!

O episódio em que você não deixou o Kaká posar de cueca para a Vanity Fair foi muito comentado. Você se considera ciumenta?
Eu nunca proibi ele de posar de cueca, na verdade só fui saber dessa história pela imprensa. Ele mesmo não se sentiria confortável. Eu achei ótimo, pois tem que ter alguma coisa que seja só da esposa. Não sou ciumenta, a maioria das fãs dele são minhas também, da nossa família. Estou sempre conversando com elas, respondo os e-mails, mantenho uma ótima relação com cada uma! Elas são muito amorosas e sinceras. E não posso condenar nenhum tipo de amor.

Fonte da Entrevista: www.terra.com.br

2 comentários:

  1. a única coisa que eu concordei do que ela falou foi sobre o dizimo...


    A casa de uma família tem que ser uma espécie de igreja? sim. Mas não quer dizer que vc tenha que deixar de congregar, congregar e ter comunhão é de muitíssima importância, eu acho que uma pessoa que não quer prestar culto público á Deus não pode ser chamado de cristão.


    E quanto ao cd quero dizer que as pessoas vão á igreja para sacia a sensualidade de seus ouvidos, as pessoas vão para a igreja para ficarem se divertindo, quando na verdade a adoração cristã é espiritual.

    ResponderExcluir
  2. Banda Gospel lança o Clip Patricinha de Jesus: http://www.youtube.com/watch?v=MvpMKCHQk_c

    ResponderExcluir

As informações e opiniões postadas no Blog Fé & Razão não correspondem às opiniões e idéias de pessoas ligadas a mim nem de minha Igreja
Ocorreu um erro neste gadget