quarta-feira, 29 de junho de 2011

A INSEGURANÇA É VENCIDA PELA FÉ!

Então ordenou Faraó a todo seu povo: A todos os filhos que nasceram aos Hebreus lançareis no Nilo”       Êxodo 1:22


Aprendamos com a história de Moisés:


Quando Moisés nasceu sua mãe teve que jogar o menino no rio por ordem do Faraó para não ser morto. Sua mãe tentou escondê-lo, mas depois de 3 meses não dava mais e ela teve que colocá-lo num cesto e lançá-lo ao rio.

A partir de um plano mortal, não deve ter sido fácil a passagem pelo Nilo, mas Deus estava no controle. Certamente Faraó (figura análoga para Satanás) achava que ao jogar um neném no rio este morreria. A travessia no Nilo Não deve ter sido fácil, pois o Rio Nilo era habitado por enorme variedade de vida animal, desde cobras d água até enormes crocodilos. O plano tinha tudo para dar errado. Creio que durante o percurso de Moisés no cesto pelo rio não foi fácil, mas Deus estava no controle. Não foi o cesto construído por sua mãe que o salvara, na verdade não importava o que acontecia do lado de fora do cesto, no final da correnteza havia um palácio pra Moisés.  


Os crocodilos, os hipopótamos eram muito mais forte que o cestinho, a correnteza devia ser muito mais forte que o cestinho, mas Deus é o nosso refúgio e fortaleza e não cestinho. Assim é em nossa vida. Não foi fácil passar pelo Nilo, Moises deveria estar com muito medo, muito assustado, mas nada aconteceu com ele, não porque o cesto era forte, não por sorte dele, mas porque Deus estava no controle. 

Temos que acreditar da mesma forma, pois há momentos que passamos por correntezas difíceis e “crocodilos” nos cercam, mas quando nos deixamos ser levados pelas águas dos rios da esperança no Senhor no final de tudo haverá um palácio esperando por nós. No final de tudo Moisés foi resgatado do mar pela filha de faraó que ia se banhar no rio e o acolheu como filho, fato este que concedeu a Moisés privilégios especiais próprios da nobreza.

Há outro detalhe no agir de Deus nesse momento da história de Moisés. Os pesquisadores relatam que as filhas de faraó tinham seus banheiros particulares, na verdade não tinham o costume de banhar-se no rio. Ou seja, essa princesa foi a providência de Deus para evitar a morte e proteger Moisés. De um projeto assassino de faraó, Deus trouxe provisão e segurança pelas mãos da filha deste mesmo faraó. Temos que crer que nos momentos de crise, CERTAMENTE Deus proverá e nos tirará das correntezas em segurança, nem que para isso tenha que usar “a filha de faraó”.

Há outro aprendizado nessa história: o Nilo é passageiro. Ou seja, aquele momento de medo, insegurança, correnteza, perigo não foi evitado, mas foi passageiro. Não foi  permanente, mas foi temporário.  Assim também serão os nossos momentos de correnteza, medo e insegurança; será temporário. Temos que crer que Deus está no controle e proverá o melhor para nós. Ter segurança que Deus proverá. A insegurança é vencida pela fé.

Tinha tudo pra dar errado, pois ele era Hebreu e era pra ser morto, mas nem isso aconteceu. A filha de faraó reconheceu que era Hebreu, reconheceu a marca e mesmo assim decidiu ficar com o menino Hebreu, inclusive desobedecendo a uma ordem de seu pai. Quando temos segurança em Deus até o que era para dar errado, ser um fracasso dará certo. Quando descansamos n’Ele e reconhecemos que do Senhor é a guerra Deus cria situações inimagináveis para honrar seus filhos assim como no caso da filha de faraó ser quem resgatou o menino que por ordem do próprio Faraó foi lançado ao rio.

QUEM É TIRADO DA AGUA POR DEUS JAMAIS MORRE AFOGADO!!!! 

 Mais tarde, quando Moisés já estava adulto e marchando com o povo Hebreu para Canaã mais uma vez se deparou com as águas. Mas ele já tem intimidade com a água. Dessa vez não era o Rio Nilo, era um desafio maior, agora ele estava diante do Mar Vermelho. Não era somente rio, dessa vez era MAR, portanto, para um desafio maior o milagre também era maior, Moisés abriu o mar e passou com o seu povo. Quem é tirado por Deus da água, jamais morre afogado.

Devemos ser como o menino Moisés que foi  levado pelas águas de Deus e não como o Moises adulto imperativo que Deus mandou que falasse com a pedra, agiu ao contrario batendo na pedra. Devemos sempre agir segundo a direção de Deus. Agir segundo as águas da segurança de Deus, pois se Deus falou até o Mar se abre!

Acredite na segurança de Deus, confie. Não tome o controle, deixe Deus no controle e creia que a “correnteza” é momentânea e mesmo que pareça não ter jeito, se a situação estiver no controle de Deus, certamente Ele criará soluções inimagináveis pra cumprir Seu propósito em nossa vida. 




Que Deus nos abençõe,

Felipe O. Almada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações e opiniões postadas no Blog Fé & Razão não correspondem às opiniões e idéias de pessoas ligadas a mim nem de minha Igreja
Ocorreu um erro neste gadget