sábado, 4 de fevereiro de 2012

ADORAÇÃO: UM CHAMADO DE SANTIDADE E OUSADIA

“Aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o SENHOR, que, vestidos de ornamentos sagrados e marchando à frente do exército, louvassem a Deus dizendo: Rendei graças ao SENHOR porque a sua misericórdia dura para sempre.
Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o SENHOR emboscadas contra os filhos de Amom e Moabe e os do Monte Seir que vieram contra Judá e foram desbaratos” 2 Crônicas 20.21,22



Imagine um exército indo para a batalha contra uma nação inimiga, porém, ao invés de soldados, eram cantores; ao invés de arcos, espadas, escudos e vestir armadura, fossem para a guerra vestindo ornamentos sagrados e sem armas, apenas com louvor nos lábios. É uma situação ilógica, pois é exatamente o que vemos descrito nos versículos acima, e no final o SENHOR dá a vitória a seu povo, cuja força e a esperança do êxito estavam somente no Deus de Israel.


Aprendemos com esse episódio que o louvor e a adoração têm extrema importância, aprendemos que o SENHOR se utiliza da adoração, da ação de graças para manifestar o seu poder. Atualmente eu e você somos esse exército de adoradores que o SENHOR está recrutando, é um privilégio muito grande fazer parte desse exército.Porém, vale ressaltar que houve algumas exigências:


1- Vestidos de ornamentos sagrados: Para fazer parte desse exército era necessário estar com vestes sagradas, para nós significa um desafio à santidade, à uma vida reta com Deus. Aprendemos com isso que para ministrar um louvor agradável a Deus e com implicações na vida de quem conduzimos em adoração, é imprescindível estarmos vestidos com ornamentos sagrados, ou seja, bom testemunho, atos de piedade, crescimentos espiritual e dependência de Deus.


2- Marchando à frente do exército: Essa ordenança de Deus para os cantores do exército de Josafá, nos aponta para uma postura de ousadia e intrepidez como ministros de louvor. Curados de toda timidez, covardia e incredulidades; adorando como valentes do SENHOR sabendo que aquele que começou a boa obra em nossa vida é Fiel.


Esse episódio nos mostra um louvor de fé. Eles estavam tão confiantes na promessa de Deus pela vitória que começaram o louvor antes da batalha ser vencida. Então Deus causou confusão no meio dos inimigos que, por engano, viraram-se uns contra os outros.


Que possamos nessa mesma fé, tanto ao subir no altar para ministrar quanto em nossa caminhada cotidiana, estar nessa postura: com ornamentos sagrados e à frente do exército, em outras palavras, em santidade e ousadia.


Que o SENHOR, que é o motivo de nossa canção nos inspire a cada dia,


Em Cristo,


Felipe Oliveira Almada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações e opiniões postadas no Blog Fé & Razão não correspondem às opiniões e idéias de pessoas ligadas a mim nem de minha Igreja
Ocorreu um erro neste gadget