terça-feira, 16 de agosto de 2011

O QUADRILÁTERO WESLEYANO


O Quadrilátero Wesleyano é uma teoria que é creditada a John
Wesley, um dos líderes do movimento Metodista da Igreja Protestante
no século dezoito. É designado a servir aos cristãos, mas suas idéias
básicas podem ser aplicadas virtualmente a qualquer um.
O Quadrilátero diz que existem quatro autoridade, que nós
podemos usar, para tomarmos decisões: -- a Bíblia, a Razão, a Tradição,
e a Experiência – explicando-as como segue:

1 - A BÍBLIA:
Assumindo que existe o Deus teísta (Onisciente,
Onipresente e Benevolente), o curso lógico de ação seria fazer o que
quer que Ele diga. Ele é Deus, portanto, Ele pode dizer o que Ele quiser,
até mesmo, se o que Ele afirma parece contradizer a lógica. Se existe
alguma espécie de divindade superior, alguma forma de revelação
especial que seja recebida dele deverá ser tratada com a máxima
autoridade, uma vez que ela vem do ser que criou a própria lógica.

2 - RAZÃO: 
A maioria das pessoas na sociedade provavelmente
usaria a razão, antes da revelação; mas fazer desta forma seria ilógico.
Na sua forma mais básica, a lógica não é nada mais do que distinguir o
que é verdade e o que não é. Deus é necessariamente a verdade absoluta,
então (novamente), qualquer coisa que Ele diga tomaria o lugar do
entendimento de lógica humana, porque Sua verdade seria mais
verdadeira que as nossas. Na maioria dos casos, não existe conflito entre
Deus e a lógica, de maneira que não há necessidade de escolher entre os
dois.

3 - TRADIÇÃO: 
Embora a tradição seja raramente o fator
determinante em um argumento, ela nunca deverá ser desconsiderada
simplesmente porque é tradição. Tradição, costumes, e crenças
históricas existem por alguma razão, e, embora, algumas vezes, se prove
que esta razão está errada, ela é freqüentemente válida. Tradições de
uma igreja ou sociedade podem fornecer suporte para uma posição ou
crença, mas elas nunca deverão ser usadas como um argumento
autônomo.

4 - EXPERIÊNCIA: 
A experiência pessoal pode ser difícil de usar
em um argumento, porque é virtualmente impossível prová-las, no diaa-
dia, depois que elas acontecem. No entanto, alguém pode dizer: 'Os
poodles não podem voar – (a) Eu nunca os vi voando –(b) ninguém que
eu saiba os viu voando; e – (c) Eles não têm asas ou foguete, e vi
poucas coisas que podem voar, sem asas ou foguetes'. Não existe
necessidade de recorrer à tradição, razão, ou revelação para se chegar a
tal conclusão. Assim como a tradição, embora a experiência muito
freqüentemente possa apenas fornecer suporte para um argumento.




A idéia de um Quadrilátero é executada em todas aquelas quatro
partes que estão ligadas. De maneira ideal, uma afirmação ou
proposição concordaria com todas as quatro partes, mas a revelação
toma a precedência absoluta. A razão vem em seguida; a tradição e a
experiência seguem de perto. Ou se você preferir, as experiências das
pessoas no passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As informações e opiniões postadas no Blog Fé & Razão não correspondem às opiniões e idéias de pessoas ligadas a mim nem de minha Igreja
Ocorreu um erro neste gadget